Show de Assassinatos.

O nosso amado Brasil, que sempre foi reconhecido pelo show do futebol, pelo show do carnaval, pelo show de alegria, agora passa ao show dos assassinatos, com o relatório do estudo Horizontes Sombrios, em tradução livre, organizado pela ONG Small Arms Survey, que veio a público no começo de junho/19. Ao lado de México e Venezuela, subimos ao pódio de países que contabilizaram maiores altas nos índices de homicídios.

Dentro deste contexto, estamos discutindo calorosamente, se devemos ou não armar a população. Não vou discutir prós e contras do projeto do Executivo Federal, nem pareceres de entendidos e desentendidos, até porque também sou um desentendido nisso. O que quero questionar é se a causa no aumento nos homicídios não está na tal de politica pública. Nós, cidadãos que não queremos andar armados e nem mesmo possuir armas, temos este direito. E temos o direito a um Estado que nos proteja da violência, da criminalidade. Isso se obtêm através da ação do Estado. O Brasil tem estrategistas, juristas, profissionais de segurança suficientes e capazes. Mas as ações não ocorrem na mesma medida. A bandidagem anda à solta, armas desfilam nas mãos de … crianças, inclusive, presídios são dominados por facções, comunidades inteiras são “administradas” por bandidos, municípios e estados são administrados por bandidos. Neste contexto, que diferença faz mais ou menos armas nas ruas? É essa a questão?

Deixe seu comentário:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin