SÓ UMA CASCA

A morte nos espreita sempre. Recusamos a dar-nos conta disso, fugindo até mesmo da morte dos outros. SÉRIE FINITUDE HUMANA 3 de 4.

MORTE DO LEITEIRO

Esse poema, de Carlos Drummond de Andrade, publicado em 1945, tem um significado atual nos dias de hoje, onde bala de revólver que mata bandido, também mata inocentes. SÉRIE FINITUDE HUMANA 2 de 4.

A FOICE AFIADA

Queremos dar sentido à morte, definir a idade justa para se morrer, mas a velha senhora não conversa, passa a foice. SÉRIE FINITUDE HUMANA 1 de 4.

JARDIM SEM MUROS

Pensamos tanto só em nós mesmos que não sobra um tempinho para alegrar a vida dos que estão passando por nós, nem que seja só com um pequeno jardim.

AS CHINELAS DO CELSO

Apesar de saber que a vida está indo, precisamos manter um gancho com nossa vidinha, mesmo que seja só a imagem de um chinelo sob o leito moribundo.

APENAS UM BEIJO

Pode ser que algo como um simples beijinho sobreviva ao esquecimento, muito mais que um momento que parecia ser mais intenso.

UMA MARIA REZADEIRA

Nesses Brasil todos, sempre se pode encontrar alguém que parece fora do lugar, mas que está é bem nos seu lugar mesmo. É o caso da Maria, pintora e rezadeira.

SEGREDOS DA VELHICE

As opções que fizemos ao longo da nossa vida, quem mesmo é que as fez por nós?

ALTRUÍSMO IMPURO

Questionar nossos objetivos de vida é indispensável para atingirmos nossos sonhos e, talvez, até a felicidade.

A DOENÇA DA TITIA

O convívio com um doente pode nos trazer pensamentos sobre as relações humanas e os sentimentos de empatia e solidariedade.

UM CARA MACHISTA

Já não é possível um homem saber o que fazer diante de uma linda mulher. Elogia ou corre?

BACURAU É AQUI!

Às vezes parece que todos falam da mesma coisa. Vai conferir, estão falando da realidade, da vida.

TRENZINHO INQUIETO

Nosso pensamento vai ao vento, perguntando se em outros lugares nossos males poderiam não existir. Ou poderiam não existir aqui mesmo?

A FESTA DOS PORCOS

A simplicidade da vida possibilitava uma infância interessante e acontecimentos inesquecíveis. A pasteurização da vida atual inviabiliza o inusitado e o inesquecível.

MORTE DIGNA

Um indigente só passou a fazer parte das preocupações da vizinhança depois que morreu. Morto passou a merecer um cadinho de dignidade.

UM NOVO FUTURO

O futuro é uma expectativa diferente para cada geração. Esperança, medo, o que for, mas sempre uma expectativa.

FEITO BICHO

Com a cultura e a civilização, as pessoas estão em constante busca de se distanciar da sua origem animal, mas algo resta por resolver nesta tentativa.

UM MÍNIMO DE DONA LAZINHA

É possível a ideia de que a finitude possa ser um aglomerado de boas coisas, ao invés de ser o fim de nossas vidas?

UM FULANO DEREPENTE

A ocupação de espaços sociais move as pessoas nas suas escolhas e formas de vida.

A ALQUIMIA DA COZINHA

O humano é um ser capaz de transformar a sua realidade e a realidade da natureza, conforme suas convicções e visões de mundo.

O EXÍLIO DA CAMISA CANARINHO

Estamos vivendo uma apropriação dos símbolos nacionais. Para usar a camisa da seleção, precisamos sair do País.