CANDIDATO COM ADVÉRBIO.

DICIONARIO
CANDIDATO COM ADVÉRBIO.
Play

Trezentas palavras para descascar a cebola do discurso político.


Pura falta do que fazer, fui observar o discurso de candidatos, verificar como eles utilizam a língua pátria. Dá para imaginar que utilizam muito os adjetivos. No discurso tudo é lindo, pomposo, definitivo. Precisa de adjetivos fortes. Utilizam pronomes, sempre na primeira pessoa do singular, o EU. Mas resolvi concentrar a atenção nos primos pobres, nos advérbios. Nunca lembramos de dar um ladinho pra eles. Os advérbios já são meio que secundários na língua portuguesa, tipo coadjuvantes. Mas o que é mesmo um advérbio? Serve para modificar um verbo, um adjetivo ou mesmo outro advérbio.

Constato que no discurso político o que mais utilizam são os advérbios de afirmação ou de negação. Quando falam de coisas que vão realizar, surge o sim, certamente, efetivamente. Ou os de negação, quando o assunto são desvios, corrupção: não, nunca, jamais. Ah sim, os de dúvida também são muito frequentes: talvez, possivelmente, provavelmente, quiçá.

Mas restam os advérbios de MODO, LUGAR, INTENSIDADE e TEMPO. Estes não aparecem. Nunca explicam como, onde, quando, e quanto vai ser realizado.

Daí chego à conclusão de que precisamos cobrar mais advérbios de modo, lugar, intensidade e tempo. Não basta o candidato dizer o que pretende fazer. Precisa utilizar todos os advérbios que apreendeu na escola. Ou pelo menos, comprometer-se a que, na sua gestão, seja bem ensinado nas escolas o capítulo dos advérbios. Assim, no futuro, quando estes meninos e meninas forem candidatos, nos dirão com todos os advérbios, quais serão os seus feitos, quando, como, onde e em que quantidade.

Digo isso, porque fui testar esta ideia dos advérbios com um conhecido, que é candidato e ele simplesmente respondeu que não sabe isso de advérbios porque não ensinaram pra ele na escola. Já descarregou nas costas da professora, do professor. De novo, a culpa sobre os mestres.

Quanto mais pobre a cabeça, mais a boca fala. O vazio de ideias sai pela boca. É ficar ligado no discurso.

http://www.uel.br/uelfm/audios/32250-Candidato_com_Adverbio.mp3

O que achou do conteúdo?
Envie uma mensagem pelo formulário abaixo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin