ASSUNTO DA HORA.

Os que buscam a felicidade em futilidades, não chegarão a encontrar felicidade em coisas consistentes.

AS CHINELAS DO CELSO

Apesar de saber que a vida está indo, precisamos manter um gancho com nossa vidinha, mesmo que seja só a imagem de um chinelo sob o leito moribundo.

ÁLBUM DE CASAMENTO.

Na hora de casar deviam perguntar se você promete conversar com aquela pessoa até o fim da sua vida.

O ÚLTIMO ANIVERSÁRIO.

Não quero dar-me por morto; ainda há um tantinho de resfolegar que me cabe.

A FESTA DOS PORCOS.

A simplicidade da vida possibilitava uma infância interessante e acontecimentos inesquecíveis. A pasteurização da vida atual inviabiliza o inusitado e o inesquecível.

A TITIA QUERIA DANÇAR.

O convívio com um doente pode nos trazer pensamentos sobre as relações humanas e os sentimentos de empatia e solidariedade.

SEGREDOS DA VELHICE.

As opções que fizemos ao longo da nossa vida, quem mesmo é que as fez por nós?

UM FULANO DEREPENTE.

A ocupação de espaços sociais move as pessoas nas suas escolhas e formas de vida.